X Encontros Internacionais Guitarra – Edição 2016

Programa

Bilhetes

Iniciativa: ass. Orquestra Clássica do Centro

Patrocínio – Caixa Geral de Depósitos

Apoio Institucional – Câmara Municipal de Coimbra

“A CGD tem assumido um papel ativo na comunidade, privilegiando a criação de valor global para os clientes particulares, empresas ou instituições locais. Este é um compromisso que a Caixa tem assumido e renovado sucessivamente no relacionamento com a comunidade onde estamos inseridos. A CGD apoia estes Encontros desde a sua 1ª edição, numa ação continuada de divulgação da música, criação de novos públicos e promoção da atividade cultural.”

 Encontros Internacionais da Guitarra   

Entre os dias 2 e 13 de novembro a Orquestra Clássica do Centro levará ao palco do Pavilhão Centro de Portugal os X Encontros Internacionais de Guitarra. Esta iniciativa realiza-se ininterruptamente desde 2007.

Por este palco passaram, ao longo destes anos:

nomes como Pedro Caldeira Cabral, António Chainho, Fernando Alvim, Paulo Soares, Cordis, Marta Pereira da Costa, Luísa Amaro, Rão Kyao, João Tore do Valle, Duo Raposo, Paulo Vaz de Carvalho ou Dejan Ivanovitch, além de terem sido interpretados compositores portugueses como Eurico Carrapatoso, Fernando Lapa, Sérgio Azevedo, Natália Pikoul ou Vasco Martins, tendo participado também orquestras como a alemã NRW ou a Orquestra de Guitarras do Fundão e convidados especiais como Doc Rossi ou Kanale Auer além de Luis Goes, Jorge Cravo, José Vilhena entre muitos outros.

 Estes Encontros procuram, além da promoção da guitarra enquanto instrumento solístico individual e de orquestra, contribuir para a divulgação e internacionalização dos seus intérpretes, a criação de novos públicos ou a estimulação da sua aprendizagem.

Pretendemos ainda a divulgação de novo repertório para este instrumento e criar condições para a composição de novas obras que venham enriquecer o património bibliográfico musical. Destaca-se a diversidade cultural ligada a este instrumento.

Como tem sido habitual nestes Encontros por se realizarem na Cidade de Coimbra cuja Universidade é hoje Património Mundial da UNESCO, não poderíamos deixar de dar um especial destaque à Canção de Coimbra abordando pessoas e temas que lhe conferem a importância e o destaque que hoje todos lhe reconhecemos, mas também evidenciando os que hoje fazendo parte da academia e lhe continuam a dar vida contribuindo para a sua continuidade, atualidade e evolução.

Os Encontros têm início no dia 2 de novembro pelas 21h30. Na abertura dos X Encontros Internacionais da Guitarra faremos uma breve viagem pelos momentos mais significativos destes 10 anos. O destino da viagem musical que este ano propomos é a Guiné. Como tal, o programa abre e encerra com música da Guiné.

Assim, no dia 2 de novembro, teremos na primeira parte Braima Galissá, que nos apresentará e interpretará o Korá. Na 2ª parte, o encontro está marcado com o Grupo de Fado “Desassossego”, constituído por atuais estudantes da Universidade: na voz, Daniel Vilaverde, Pedro Miranda e Pedro Peixoto; na Guitarra de Coimbra, Alexandre Azeiteiro e Emanuel Nogueira e na Guitarra clássica Nuno Almeida.

No dia 5 de novembro pelas 21h30, continuamos com a Canção de Coimbra, mas desta vez revisitando interpretes e temas. Falaremos de “Nuno Guimarães (1942-1973) com a participação dos grupos de fados:

Presença de Coimbra, Canção de Coimbra, Capas Negras, Raízes de Coimbra e Quarto Crescente. O alinhamento deste espetáculo explora os contributos originais assinados pelo autor em matéria de títulos, textos, melodias e arranjos, com inclusão de duas composições ainda não registadas fonograficamente, procurando realçar o valor de uma obra que por motivos técnicos o editor fonográfico não revelou inteiramente.

O papel da Guitarra Portuguesa e da guitarra clássica são naturalmente fundamentais na Canção de Coimbra, mas não só. O papel da guitarra está ligado à música popular ou erudita em todo o mundo, nas suas mais variadas formas. Nestes Encontros vamos falar de outros instrumentos da família como sejam o Bandolim ou a Viola Toeira.

A Viola Toeira, é um instrumento musical inicialmente predominante na região da Beira, onde acompanhou as danças e cantigas no contexto rural da população dessa região. É, sem qualquer dúvida, um dos instrumentos musicais que melhor caracteriza a ”sonoridade coimbrã” entre os séculos XVIII e meados do século XIX. Foi usado em serenatas até ao aparecimento da guitarra que aconteceria por volta do ano de 1850. Atualmente, é retomado o som e musicalidade deste instrumento. Além da exposição de violas toeiras assistiremos a um concerto ao som deste instrumento com vozes conhecidas de todos como é o caso de João Farinha ou Luís Alcoforado. Este espetáculo terá lugar no dia 6 pelas 17h30. x-encontros-da-guitarra-corel

Nestes X Encontros Internacionais da Guitarra destacamos o concerto com a Orquestra Clássica do Centro, no dia 12 de novembro. Neste concerto faremos uma VIAGEM por povos e géneros musicais diferentes, mas com um elemento comum: a guitarra, apresentada em várias das suas vertentes: o bandolim, a guitarra clássica com sonoridades da guiné e a guitarra portuguesa.

Serão solistas no concerto da Orquestra Clássica do Centro: Ricardo Silva (na guitarra portuguesa), António Viera (no bandolim) e Manecas Costa (guitarra-Guiné). São convidados João Silva (Guitarra Clássica), Carlos Almeida (Contrabaixo), Mário Martinho (Bateria), Rui Gonçalves (Saxofone) e José Rebola dos Anaquim (guitarra Manouche).

É com a presença de Manecas Costa, um dos maiores intérpretes da música da Guiné, e de Ricardo Silva que termina esta X edição (13 de Novembro), num concerto em que poderemos assistir ao diálogo entre a guitarra portuguesa e a guitarra e voz deste ilustre músico guineense.

Antecedendo o concerto será apresentado o Documentário de Jorge Correia Carvalho sobre o tema KORA (Povo que canta os seus antepassados não morrerá. Um périplo por terras guineenses percorrendo as estórias da Kora que ouvimos na primeira voz através dos sábios djidius. Estes contadores de histórias pulverizam a imaginação de quem os ouve, transportando-nos além tempo numa atmosfera única entre o real e a ficção por toda uma população que ainda reclama a kora como única e sua).

Nestes Encontros, além da exposição já referida sobre o fabrico da Viola Toeira, teremos a participação dos artistas guineenses N´Cok Lama (escultor) e Domingos Delgado (pintor). Para além das suas obras estarem patentes neste período, nos dias 2 e 13 realizarão atividades de criação ao vivo.

O Encontro está marcado de 2 a 13 de Novembro no Pavilhão Centro de Portugal, Parque Verde da Cidade de Coimbra. Esperamos por si!

Associação  Orquestra Clássica do Centro